Please use this identifier to cite or link to this item: http://repositorio.ipea.gov.br/handle/11058/1439
Files in This Item:
File Description SizeFormat 
TD_1304.pdf1.58 MBAdobe PDFView/Open
Title: A recente queda da desigualdade de renda e o acelerado progresso educacional brasileiro da última década
Other Titles: Texto para Discussão (TD) 1304: A recente queda da desigualdade de renda e o acelerado progresso educacional brasileiro da última década
The recent fall in income inequality and the rapid educational progress of the last decade Brazil
Authors: Barros, Ricardo Paes de
Franco, Samuel
Mendonça, Rosane
Abstract: Neste trabalho avaliamos a contribuição de duas formas de discriminação (por gênero e cor) e três tipos de segmentação (espacial, setorial e entre os segmentos formal e informal) no mercado de trabalho, para a redução do grau de desigualdade em remuneração do trabalho e em renda per capita. Com exceção da segmentação entre os segmentos formal e informal, todas as demais formas de discriminação e de segmentação declinaram ao longo da década e, em particular, ao longo do último quadriênio. Essa redução nas imperfeições do mercado de trabalho, com sua crescente integração, teve papel fundamental para explicar a queda da desigualdade de rendimentos do trabalho e em renda per capita. As quedas no grau de segmentação geográfica (em particular, a segmentação entre capitais e municípios do interior) e setorial foram os fatores que mais contribuíram para a redução recente dessa desigualdade. De fato, a redução no grau de segmentação geográfica contribuiu para explicar 11% a 22% da queda recente no grau de desigualdade em renda per capita e em remuneração do trabalho, respectivamente. A redução no grau de segmentação entre setores de atividade contribuiu para explicar 10% a 18% dessa queda recente no grau de desigualdade em renda per capita e em remuneração do trabalho, respectivamente. Em conjunto, as reduções nos graus de discriminação e de segmentação foram responsáveis por 35% da queda na desigualdade em remuneração do trabalho, contribuindo a redução na discriminação com cerca de 10% e a redução na segmentação com 25%. Em relação à queda na desigualdade em renda per capita, as reduções no grau de discriminação e de segmentação foram responsáveis, em conjunto, por 18%, respondendo a discriminação por 4% e a segmentação pelos restantes 14%. Por fim, temos que a despeito da redução nos graus de discriminação e de segmentação, muitos ainda permanecem extremamente elevados, como os diferenciais por gênero e o grau de segmentação formal-informal. Em ambos os casos, o diferencial entre trabalhadores com idênticas características em postos de trabalho similares supera 40%.
Rights holder: Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea)
License: É permitida a reprodução deste texto e dos dados nele contidos, desde que citada a fonte. Reproduções para fins comerciais são proibidas.
Type: Texto para Discussão (TD)
Appears in Collections:Emprego. Trabalho: Livros
Educação: Livros



Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.