Please use this identifier to cite or link to this item: http://repositorio.ipea.gov.br/handle/11058/3151
Files in This Item:
File Description SizeFormat 
TD_1981.pdf857.9 kBAdobe PDFView/Open
TD_1981_sumario_executivo.pdf413.3 kBAdobe PDFView/Open
Title: Ciclo econômico, emprego e desigualdade
Other Titles: Texto para Discussão (TD) 1981: Ciclo econômico, emprego e desigualdade
Economic cycle, employment and inequality
Authors: Cavalcanti, Marco Antônio Freitas de Hollanda
Moreira, Ajax R. B.
Abstract: Este trabalho analisa, para o caso brasileiro, os condicionantes transitórios dos níveis de emprego e distribuição de renda do país, utilizando os microdados da Pesquisa Mensal de Emprego (PME) produzida pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) para avaliar os efeitos de choques macroeconômicos sobre o emprego e a desigualdade de renda de diferentes segmentos sociais, com foco na possível heterogeneidade destes efeitos. Consideram-se oito segmentos sociais, diferenciados segundo três atributos: gênero, experiência e educação. Para relacionar os indicadores sociais de emprego/desigualdade às variáveis macroeconômicas, adotam-se dois tipos de abordagem econométrica: modelos autorregressivos vetoriais padrão – Vector Autoregressive Model (VAR) – e modelos autorregressivos vetorais de fatores – Factor-Augmented Vector Autoregressive (Favar) –, nos quais os choques macroeconômicos são identificados utilizando restrições de sinal inspiradas em modelos dinâmicos estocásticos de equilíbrio geral – Dynamic Stochastic General Equilibrium (DSGE). A comparação entre os resultados das metodologias VAR e Favar permite avaliar em que medida a consideração da possível heterogeneidade dos efeitos pode alterar resultados qualitativos da relação entre os choques macroeconômicos e os indicadores sociais. Os principais resultados do trabalho são que o efeito dos choques identificados: i) é estatisticamente significativo apenas para os modelos Favar, indicando a importância da segmentação para relacionar os choques com as condições sociais; ii) tem efeitos pequenos mas estatisticamente significativos para os indicadores relativos aos trabalhadores; iii) tem efeito heterogêneo por segmento permitindo identificar os segmentos mais vulneráveis segundo as medidas de emprego, a renda ou a desigualdade; e iv) o choque de oferta é o único que tem efeito sobre a desigualdade de todos os segmentos.
Rights holder: Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea)
License: É permitida a reprodução deste texto e dos dados nele contidos, desde que citada a fonte. Reproduções para fins comerciais são proibidas.
Type: Texto para Discussão (TD)
Appears in Collections:Economia. Desenvolvimento Econômico: Livros
Desenvolvimento Social: Livros
Emprego. Trabalho: Livros



Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.