Please use this identifier to cite or link to this item: http://repositorio.ipea.gov.br/handle/11058/5327
Files in This Item:
File Description SizeFormat 
td_2122.pdf520.8 kBAdobe PDFView/Open
td_2122_sumex.pdf42.44 kBAdobe PDFView/Open
Title: A Administração pública deliberativa : inteligência coletiva e inovação institucional a serviço do público
Other Titles: Texto para Discussão (TD) 2122 : A Administração pública deliberativa : inteligência coletiva e inovação institucional a serviço do público
Authors: Tarragó, Daniel
Brugué, Quim
Cardoso Jr., José Celso
Abstract: A administração pública deliberativa é uma aposta política na transformação progressista e progressiva da administração pública, sobretudo em países como o Brasil, cujos experimentos acumulados de participação cidadã têm se destacado mundo afora. Neste texto, argumenta-se em favor da participação social como método de governo, buscando desarmar algumas das proposições frequentemente utilizadas para minimizar ou mesmo ridicularizar a participação social em processos de governo. Adicionalmente, defende-se a necessidade de reinventar a democracia, alertando para a falência das formas tradicionais de se fazer política e, consequentemente, para a incapacidade dos governos atuais em governar, bem como dos cidadãos em governar os seus próprios governos. Daí a necessidade de se recuperar a boa política como forma de superar a barbárie moral que tomou conta das relações políticas e das próprias administrações públicas no Brasil e no mundo. Por fim, trata-se de desenvolver novas capacidades administrativas, para que os governos sejam capazes de melhor comunicar os seus planos, objetivos e metas, tanto internamente como junto à sociedade. Para tanto, o texto estabelece os fundamentos desta nova proposta de governança da coisa pública: i) menos especialização e mais criatividade; ii) menos dados e mais filosofía; e iii) menos endogamia e mais diversidade. Em suma, propõe-se apostar nas habilidades relacionais (de natureza tecnopolítica) das novas gerações de dirigentes e servidores públicos em formação. Deve-se insistir também na capacidade de aprendizagem institucional decorrente tanto da inteligência coletiva já instalada em nossas repartições públicas como das práticas participativas e deliberativas já em uso no interior destas.
Rights holder: Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea)
License: É permitida a reprodução deste texto e dos dados nele contidos, desde que citada a fonte. Reproduções para fins comerciais são proibidas.
Type: Texto para Discussão (TD)
Appears in Collections:Administração Pública. Governo. Estado: Livros



Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.