Please use this identifier to cite or link to this item: http://repositorio.ipea.gov.br/handle/11058/3762
Full metadata record
DC FieldValueLanguage
dc.contributor.authorThorstensen, Vera-
dc.contributor.authorFerraz, Lucas-
dc.date.accessioned2015-04-14T13:10:39Z-
dc.date.available2015-04-14T13:10:39Z-
dc.date.issued2014-04-
dc.identifier.urihttp://repositorio.ipea.gov.br/handle/11058/3762-
dc.description.abstractA proliferação de acordos preferenciais de comércio (APCs) tem modificado o cenário do comércio internacional. Os APCs se multiplicam para oferecer soluções aos desafios do comércio do século XXI, papel antes desempenhado pela Organização Mundial de Comércio (OMC), atualmente revivida após o sucesso de Bali. O Brasil ainda se mostra como um país relativamente isolado no cenário das negociações preferenciais, com poucos acordos celebrados. Assim, o país vem assistindo a uma perda relativa de acesso a diversos mercados internacionais em razão de preferências tarifárias, quotas agrícolas e redução de barreiras não tarifárias (BNTs) concedidas por parceiros comerciais a outros países, por meio da negociação de APCs. Esse cenário é agora agravado pelas iniciativas de lançamento das negociações de dois mega-acordos preferenciais: o Transatlantic Trade and Investment Partnership (TTIP) e o Trans-Pacific Partnership (TPP). Estes acordos abarcam parcela significativa do comércio mundial e podem trazer impactos importantes para o comércio exterior brasileiro. O presente estudo avalia, por meio de simulações de equilíbrio geral computável (EGC), os impactos desses dois mega-acordos para a economia brasileira, bem como os impactos de eventuais acordos do Brasil com os Estados Unidos e a União Europeia (UE), considerando tanto a redução de tarifas quanto de BNTs. Por fim, o estudo aponta para a necessidade de o Brasil repensar sua política de comércio exterior.pt_BR
dc.language.isopt-BRpt_BR
dc.publisherInstituto de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea)pt_BR
dc.titleO Isolamento do Brasil em relação aos acordos e mega-acordos comerciaispt_BR
dc.title.alternativeBrazil's isolation in relation to trade agreements and mega-agreementspt_BR
dc.typeBoletim de Economia e Política Internacional - Artigospt_BR
dc.rights.holderInstituto de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea)pt_BR
dc.source.urlsourcehttp://www.ipea.gov.brpt_BR
dc.location.countryBRpt_BR
dc.description.physicalp. 5-17 : il.pt_BR
dc.rights.licenseÉ permitida a reprodução deste texto e dos dados nele contidos, desde que citada a fonte. Reproduções para fins comerciais são proibidas.pt_BR
dc.subject.keywordAcordos comerciaispt_BR
dc.subject.keywordMega-acordos comerciaispt_BR
dc.subject.keywordAcordos preferenciais de comérciopt_BR
dc.subject.keywordTransatlantic Trade and Investment Partnership (TTIP)pt_BR
dc.subject.keywordTrans-Pacific Partnership (TPP)pt_BR
dc.relation.referenceshttp://repositorio.ipea.gov.br/handle/11058/3328pt_BR
ipea.description.objectiveAvalia os impactos dos principais acordos de interesse do Brasil, com foco nas exportações agrícolas e industriais, que representam parcela de grande relevância na pauta brasileira.pt_BR
ipea.description.methodologyFoi utilizado nas simulações o modelo de equilíbrio geral computável (ECG) Global Trade Analysis Project (GTAP), versão 8, no modelo estático, para avaliar os efeitos dos acordos selecionados. Essas simulações analisam impactos dos acordos que apenas incluem reduções tarifárias e quando as negociações envolvem negociações de BNTs. Para a simulação da redução das BNTs, foi utilizada a metodologia apresentada no projeto Ecorys de 2009, desenvolvida por Berden et al. (2009) para a Comissão Europeia.pt_BR
ipea.description.additionalinformationArtigo publicado em: Boletim de Economia Internacional (BEPI): n. 16, jan./abr. 2014pt_BR
ipea.description.additionalinformationPossui referências bibliográficas e bibliografia complementarpt_BR
ipea.access.typeAcesso Abertopt_BR
ipea.rights.typeLicença Comumpt_BR
ipea.englishdescription.abstractThe proliferation of preferential trade agreements (PTAs) has modified international trade. PTAs are multiplying in order to offer solutions to the challenges of 21st century trade, role previously played by the World Trade Organization (WTO), now revived after the success of Bali. Brazil is still relatively isolated of preferential negotiations, with only a few agreements signed. Thus, the country has been watching the relative loss of market access of several of its trade partners, due to preferences accorded by them to other countries, through the negotiation of PTAs. This scenario is now aggravated by the two mega preferential agreements: the Transatlantic Trade and Investment Partnership – TTIP and the Trans-Pacific Partnership – TPP. These two agreements comprehend an expressive part of international trade flows and may bring significant impacts to Brazilian foreign trade. This study evaluates, through general equilibrium modeling, the impacts of the mega-agreements to the Brazilian economy, as well as the impacts of eventual agreements between Brazil and the US and Brazil and the EU, considering both tariff and non-tariff barriers reductions. Finally, the study points to the need for Brazil to rethink its Foreign Trade Policy.pt_BR
ipea.researchfieldsN/Apt_BR
ipea.classificationComércio Internacionalpt_BR
Appears in Collections:Comércio Internacional: Artigos

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
BEPI_n16_isolamento.pdf424.82 kBAdobe PDFView/Open


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.