Please use this identifier to cite or link to this item: http://repositorio.ipea.gov.br/handle/11058/1353
Files in This Item:
File Description SizeFormat 
TD_1517.pdf799.92 kBAdobe PDFView/Open
Title: Uma metodologia para decompor diferenças entre dados administrativos e pesquisas amostrais, com aplicação para o Programa Bolsa Família e o benefício de prestação continuada na PNAD
Other Titles: Texto para Discussão (TD) 1517: Uma metodologia para decompor diferenças entre dados administrativos e pesquisas amostrais, com aplicação para o Programa Bolsa Família e o benefício de prestação continuada na PNAD
A methodology for decomposing differences between administrative data and sample research, with application for the Bolsa Família Program and the continuous benefits in PNAD
Authors: Souza, Pedro H. G. Ferreira de
Abstract: Estimativas feitas com base em pesquisas domiciliares amostrais muitas vezes diferem bastante dos dados administrativos. Nas Pesquisas Nacionais por Amostra de Domicílios (PNADs), por exemplo, o número estimado de beneficiários do Programa Bolsa Família (PBF) e do Benefício de Prestação Continuada (BPC) é sempre inferior ao número oficial. O objetivo deste artigo é apresentar uma metodologia simples, baseada nas características do desenho amostral das pesquisas domiciliares, para explicar essa diferença, decompondo-a em três termos: o viés de representatividade (derivado da escolha dos locais, áreas censitárias ou municípios para a pesquisa), o viés de captação (decorrente de problemas de captação nos locais selecionados) e a interação entre ambos. A aplicação dessa metodologia ao PBF e ao BPC mostra que, no primeiro caso, o viés de representatividade explica boa parte do problema: a seleção de municípios pesquisados é responsável por 40% da diferença observada entre os dados oficiais e os da PNAD. No caso do BPC, o viés de representatividade tenderia a agir no sentido oposto. Portanto, o viés de captação é inteiramente responsável pela diferença observada. Além disso, a declaração equivocada do BPC como benefício previdenciário na PNAD parece ocorrer sobretudo no período anterior a 2004 e não explica inteiramente o pequeno número de beneficiários identificados nas PNADs.
Rights holder: Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea)
License: É permitida a reprodução deste texto e dos dados nele contidos, desde que citada a fonte. Reproduções para fins comerciais são proibidas.
Type: Texto para Discussão (TD)
Appears in Collections:Ciência. Pesquisa. Metodologia. Análise Estatística: Livros



Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.