Please use this identifier to cite or link to this item: http://repositorio.ipea.gov.br/handle/11058/2643
Files in This Item:
File Description SizeFormat 
TD_1928.pdfArquivo principal1.08 MBAdobe PDFView/Open
TD_1928_Sumário_executivo.pdfSumário executivo409.74 kBAdobe PDFView/Open
Title: Discriminação contra os estudantes obesos e os muito magros nas escolas brasileiras
Other Titles: Texto para Discussão (TD) 1928: Discriminação contra os estudantes obesos e os muito magros nas escolas brasileiras
Discrimination against the obese and very thin students in Brazilian schools
Authors: Kubota, Luis Claudio
Abstract: A Pesquisa Nacional de Saúde do Escolar (PeNSE) 2012, realizada pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), em parceria com o Ministério da Saúde (MS), abrange um amplo leque de assuntos, com destaque para comportamentos de risco. Este artigo tem o objetivo de analisar a discriminação contra estudantes obesos e muito magros, utilizando microdados da PeNSE. Os dados indicam que alunos que se autoclassificam “muito gordos” ou “muito magros” são muito mais propensos a comportamentos de risco, como o consumo de drogas ilícitas, álcool, cigarros e laxantes (ou indução ao vômito), quando comparados com alunos “normais”. Eles também são muito mais sujeitos a sofrer bullying frequente (BF) – especialmente aquele motivado por sua aparência corporal, a serem bullies ativos, a sentirem solidão, a sofrerem de insônia, violência familiar, agressões e lesões. Um elevado percentual está envolvido em brigas e avalia que seus pais raramente, ou nunca, entendem seus problemas e preocupações. O modelo econométrico implementado mostra que estudantes “não normais” têm mais chance de sofrer BF que os “normais”. Os alunos do sexo masculino têm maior chance de ser discriminados em relação às alunas. Não há diferença estatisticamente significativa entre escolas públicas e privadas. Alunos pretos, amarelos e indígenas têm maior chance de sofrer BF em relação aos brancos. Estudantes cujas mães não estudaram têm maior chance de sofrer BF em relação àqueles cujas mães têm ensino médio completo.
Rights holder: Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea)
License: É permitida a reprodução deste texto, desde que obrigatoriamente citada a fonte. Reproduções para fins comerciais são rigorosamente proibidas.
Type: Texto para Discussão (TD)
Appears in Collections:Educação: Livros



Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.