Please use this identifier to cite or link to this item: http://repositorio.ipea.gov.br/handle/11058/6545
Files in This Item:
File Description SizeFormat 
TdM_v2_n2_Nuevas.pdf90.6 kBAdobe PDFView/Open
Title: Nuevas directrices en la asociación Venezuela-China
Other Titles: Novas diretrizes na associação Venezuela-China
New directions in Venezuela-China partnership
Authors: Romero, Carlos A.
Abstract: A China, juntamente aos países Brasil, Índia, Rússia e África do Sul (BRICS), membros da Associação das Nações do Sudeste Asiático (Asean) e Turquia, é um claro exemplo de soft balancing policy. A Venezuela, entretanto, é uma potência revisionista que apoia, sem reservas, a presença da China na América Latina e no Caribe. Os investimentos e o comércio exterior da Venezuela são caracterizados pela presença de petróleo e derivados e gás natural. A oferta venezuelana de exportações consiste, em mais de 95%, dessas commodities. Assim, a discussão sobre a perda do caráter industrial e de serviços das economias dos países da América Latina e do Caribe, dada a magnitude das exportações primárias e das importações de manufaturas chinesas, não é um grande problema para a Venezuela, uma vez que esta já não possui uma planta industrial que possa competir com as importações de bens e serviços da potência asiática.
References: http://repositorio.ipea.gov.br/handle/11058/6538
Rights holder: Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea)
License: É permitida a reprodução deste texto e dos dados nele contidos, desde que citada a fonte. Reproduções para fins comerciais são proibidas.
Type: Revista Tempo do Mundo - Artigos
Appears in Collections:Comércio Internacional: Artigos
Economia. Desenvolvimento Econômico: Artigos



Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.