Please use this identifier to cite or link to this item: http://repositorio.ipea.gov.br/handle/11058/7422
Files in This Item:
File Description SizeFormat 
td_2269.PDF482.81 kBAdobe PDFView/Open
td_2269_sumex.pdf29.85 kBAdobe PDFView/Open
Title: Avaliação empírica da projeção da taxa de poupança agregada das famílias brasileiras com dados da pesquisa de orçamentos familiares : decomposição de Neuman-Oaxaca no modelo de Heckman
Other Titles: Texto para Discussão (TD) 2269 : Avaliação empírica da projeção da taxa de poupança agregada das famílias brasileiras com dados da pesquisa de orçamentos familiares : decomposição de Neuman-Oaxaca no modelo de Heckman
Authors: Silveira, Marcos Antonio Coutinho da
Moreira, Ajax Reynaldo Bello
Abstract: A Pesquisa de Orçamentos Familiares do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (POF/IBGE) é a única fonte de dados microeconômicos sobre a poupança das famílias brasileiras. Como esta pesquisa tem sido realizada em intervalos de pelo menos cinco anos, é importante discutir e avaliar empiricamente se modelos estimados com dados defasados da pesquisa mais recente são capazes de produzir projeções confiáveis da taxa de poupança agregada corrente e futura das famílias brasileiras a partir de observações correntes de variáveis preditivas disponibilizadas por pesquisas de frequência anual. Modelos de projeção alternativos são estimados com variáveis preditivas sugeridas pela literatura sobre consumo e poupança. Um deles baseia-se no procedimento usado pelo IBGE para projetar a taxa de poupança agregada. Outro faz uso da estrutura não linear do modelo de Heckman para levar em conta o fato de que uma quantidade proporcionalmente elevada de famílias tem poupança nula. Como o trabalho está focado na taxa de poupança agregada, um aspecto metodológico importante é que os modelos precisam ser estimados ponderando as características de cada família por sua participação amostral na renda agregada. As decomposições de Blinder-Oaxaca e de Neuman-Oaxaca revelam que a diferença entre as taxas de poupança agregada estimadas com as versões da POF de 2002-2003 e de 2008-2009 foi explicada em maior extensão por mudanças nos coeficientes estimados dos modelos de projeção, restando um papel secundário para o efeito das mudanças nas médias amostrais das características preditivas. Este resultado compromete o uso de modelos estimados com dados da POF na projeção da taxa de poupança agregada das famílias brasileiras, uma vez que somente o segundo efeito é observado em anos sem disponibilidade de POF.
Rights holder: Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea)
License: É permitida a reprodução deste texto e dos dados nele contidos, desde que citada a fonte. Reproduções para fins comerciais são proibidas.
Type: Texto para Discussão (TD)
Appears in Collections:Economia. Desenvolvimento Econômico: Livros
Demografia. População: Livros



Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.