Please use this identifier to cite or link to this item: http://repositorio.ipea.gov.br/handle/11058/9586
Files in This Item:
File Description SizeFormat 
td_2535.pdf5.12 MBAdobe PDFView/Open
td_2535_sumex.pdf133.83 kBAdobe PDFView/Open
dados2019_v1.0_20200116.gpkg253.78 MBUnknownView/Open
dados2019_v1.0_20200116.rds40.65 MBUnknownView/Open
dicionario2019_v1.0_20200116.xlsx16.76 kBMicrosoft Excel XMLView/Open
figuras2019_v1.0_20200116.zip166.87 MBUnknownView/Open
Title: Desigualdades socioespaciais de acesso a oportunidades nas cidades brasileiras – 2019
Other Titles: Texto para Discussão (TD) 2535 : Desigualdades socioespaciais de acesso a oportunidades nas cidades brasileiras – 2019
Authors: Pereira, Rafael H. M.
Braga, Carlos Kauê Vieira
Serra, Bernardo
Nadalin, Vanessa Gapriotti
Abstract: Um dos principais objetivos das políticas de transporte urbano é facilitar o acesso das pessoas a oportunidades de emprego, serviços de saúde e educação, atividades culturais e de lazer. No entanto, os estudos e as políticas de mobilidade urbana no Brasil costumam dar ênfase aos desafios de reduzir congestionamentos e o tempo que as pessoas gastam no trânsito, ao passo que dedicam pouca atenção ao tema da acessibilidade urbana. Este estudo apresenta os primeiros resultados do Projeto Acesso a Oportunidades, e faz um retrato das desigualdades de acesso a oportunidades nas maiores cidades brasileiras no ano de 2019, com estimativas de acesso a empregos, serviços de saúde e educação. Nesta edição, o estudo inclui estimativas de acessibilidade por modos de transporte ativo (a pé e de bicicleta) para as vinte maiores cidades do país, e por transporte público para sete grandes cidades (São Paulo, Rio de Janeiro, Belo Horizonte, Recife, Fortaleza, Porto Alegre e Curitiba). O projeto combina dados de registros administrativos, pesquisas amostrais, dados de imagens de satélite e de mapeamento colaborativo, para se calcular os níveis de acessibilidade em alta resolução espacial, e desagregados por grupos socioeconômicos segundo nível de renda e cor/raça. Os resultados revelam dois padrões gerais. Em todas as vinte cidades estudadas, a concentração de atividades nas áreas urbanas centrais aliada à performance/conectividade das redes de transporte leva a áreas de alta acessibilidade próximas ao centro das cidades, em contraste com regiões de periferia marcadas por desertos de oportunidades. Ainda, os resultados apontam que a população branca e de alta renda tem em média mais acesso a oportunidades de trabalho, saúde e educação do que a população negra e pobre em todas as cidades estudadas, independentemente do meio de transporte considerado. Os resultados e bases de dados do Projeto Acesso a Oportunidades são disponíveis publicamente, criando rico material que pode ser utilizado para guiar o planejamento e avaliação de políticas públicas que promovam cidades sustentáveis e inclusivas.
Rights holder: Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea)
License: É permitida a reprodução deste texto e dos dados nele contidos, desde que citada a fonte. Reproduções para fins comerciais são proibidas.
Type: Texto para Discussão (TD)
Appears in Collections:Desenvolvimento Regional: Livros



Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.